Entrevista com Mark Kolpack, supervisor de efeitos especiais (parte 2)

 Entrevista com Mark Kolpack, supervisor de efeitos especiais (parte 2)

Fonte: www.markkolpack.com


Com a ajuda dos nossos parceiros, Portal Agents Brazil, conseguimos outra entrevista exclusiva com o Mark Kolpack, supervisor de efeitos visuais de Agents Of SHIELD. Nós já havíamos falado com o Mark há alguns anos, durante o hiatos da 4ª temporada da série, então caso não tenha visto essa entrevista, confira aqui.

Abaixo, você confere a entrevista completa realizada recentemente.


Quantas pessoas compõem sua equipe atualmente e quais as funções de cada um?


Minha equipe interna que trabalhou no lado da produção comigo, consistia em um total de quatro pessoas, incluindo eu. Eu tinha minha mão direita, Sabrina Arnold, que era minha produtora de efeitos especiais. Ela e eu somos como um velho casal, trabalhamos tão próximos que isso torna o processo muito mais eficiente e melhor. Então eu tive Briana Aeby, que era nossa coordenadora de efeitos visuais. Briana organizou nossas sessões de revisão e se certificou de que todos os fornecedores estavam entregando seu trabalho conforme programado. E meu editor de efeitos visuais, Ryan Moos, que foi responsável por garantir que as edições se mantivessem atualizadas com a contagem de fotos de efeitos visuais. Ele também faria todas as ordens de puxar para obter o material de injeção para os fornecedores de VFX.


Como você acha que o trabalho em SHIELD te evoluiu como profissional?

David Bowie disse isso melhor. “O melhor trabalho de um artista é feito quando ele está de pé na extremidade funda da piscina, na ponta dos pés, com a água até o nariz.” Basicamente, os artistas precisam ser desafiados e um pouco nervosos para não se sentirem confortáveis. Posso dizer honestamente que se fizéssemos os mesmos efeitos enlatados semana após semana, eu teria saído após a segunda temporada. Tenho que ser desafiado. Eu preciso que as histórias e os personagens cresçam e evoluam. Isso faz com que o trabalho do VFX também evolua.



Qual o maior desafio que a série trouxe para o seu trabalho durante esses anos?

Essa é uma grande questão. Realmente era interminável. Os desafios em Agents of SHIELD, sempre foram enormes. Tínhamos o Ônibus, depois Zephyr One, os Quinjets, Trawler, o avião de Garrett e depois Daisy, Ghost Rider, Hive, Lash, os hangares, efeitos de água, efeitos de espaço e efeitos de fluidos. Você escolhe, e temos que fazer isso. É a melhor corrida da minha carreira da qual fiz parte até agora.

Mark Kolpack

Avaliando todos os episódios e efeitos, qual você considera como o melhor resultado no sentido de “orgulho em ter feito”?


De novo, foram tantos. Ghost Rider está no topo. Eu amo o Farol com suas cachoeiras, fotos espaciais, Hive foi incrível, assim como os Vrellnexians na 5ª temporada. Os efeitos de velocidade da Yo-Yo e os tremores da Daisy são meus favoritos. Também estou orgulhoso de todos os hologramas com os quais Fitz e Simmons interagiram. No geral, são muitos para listar.


Bastidores de Agents Of SHIELD com Gabriel Luna, o Ghost Rider.

Qual foi o trabalho mais difícil de fazer?


Alguns dos trabalhos mais difíceis foram os cristais na 6ª temporada. Esse foi um design que todos nós pensamos que não deveria ser difícil e acabou sendo muito difícil.

Cenas com os cristais na sexta temporada de Agents Of SHIELD.

Você já trabalhou em Heroes, Blade, Buffy, a caça vampiros e Batman, que são produções tbm focadas em super herois. Como você sente a evolução dos efeitos visuais daquela época pro que você consegue fazer hoje em AoS?



Ah, são anos-luz de diferença. O trabalho feito hoje, tem todas as vantagens de software e hardware muito melhores. As placas de vídeo são tão poderosas hoje. Fazer tudo no Render Farm é um mundo totalmente novo. Embora os velhos tempos de fotografar modelos em miniatura fossem divertidos, demorava muito mais tempo e as alterações eram muito caras devido à necessidade de refilmagem. CG é tão brilhante hoje que as miniaturas quase não são mais usadas. Realmente não há comparação. É como dizer qual é a diferença de quando você dirige um Ford Modelo T para um Porsche moderno, 911? Você simplesmente não pode comparar o passeio, a velocidade e o manuseio.

Se pudesse descrever sua participação na série em uma palavra, qual seria?


Mágico

Mark Kolpack

Para conferir mais do trabalho do Mark e alguns bastidores dos efeitos que ele cria na série, você pode seguí-lo no twitter, Vimeo ou acessar seu website: www.markkolpack.com.


Veja também