Elizabeth Henstridge vai para trás das câmeras para dirigir um episódio

 Elizabeth Henstridge vai para trás das câmeras para dirigir um episódio

Elizabeth Henstridge dirige o episódio dessa quarta-feira, de Agents of SHIELD, “As I Have Always Been” (Como Sempre Fui).

No episódio, Daisy (Chloe Bennett) e Coulson (Clark Gregg) revivem várias tentativas fracassadas de salvar a equipe, a bordo de sua aeronave, a Zephyr, presa em um loop temporal infinito.


“Atuar foi minha porta de entrada na indústria … e, com a sorte de ser atriz em ‘Agents of SHIELD‘ por tanto tempo, cheguei ao ponto em que me senti bastante confortável e senti que deveria me esforçar um pouco mais”, Diz a britânica Henstridge, 32 anos.


“Demorei um pouco para admitir para mim mesma que dirigir é algo que eu realmente queria”, diz ela. “Requer confiança e vontade de avançar e dizer: ‘Eu quero fazer isso.’ Este episódio foi o mais diferente que já havíamos feito antes, por causa de como a história é estruturada… foi definitivamente uma curva acentuada de aprendizado”.


Agents of S.H.I.E.L.D.”, agora em sua sétima e última temporada, é ambientado em um mundo de super-heróis e segue os agentes da agência de espionagem, que lida com várias ameaças. Nesta temporada, eles tentaram impedir que seres robóticos nefastos chamados Chronicom, os apagassem da existência.

Elizabeth interpreta Jemma Simmons, membro da equipe, uma das maiores especialistas em ciência. Seu marido, Leopold Fitz (Iain De Caestecker), está em uma missão fora da tela, nesta temporada – e Elizabeth diz que os espectadores entenderão um pouco mais sobre isso no episódio de quarta-feira.



“Em algum momento, ouviremos diretamente de Fitz e o que ele está fazendo”, diz ela. “Acho que será um alívio para alguns fãs.”

Elizabeth diz que se preparou para seu novo papel, por trás das câmeras, de várias maneiras diferentes.


“Adorei ‘Russian Doll’ … e assisti mais de uma vez”, diz ela. “Eu sinto que eles a criaram isso tão lindamente. E assisti “Dia da Marmota” e “O dia depois de amanhã” e vários filmes famosos apenas para me preparar.


“O ponto principal com um enredo de loop temporal, é que você precisa encontrar uma maneira de torná-lo rápido e interessante, porque você volta ao mesmo cenário muitas vezes”, diz ela. “Como diretor, é um desafio brilhante”.


E, ela diz, o episódio de quarta-feira se concentra nas duas co-estrelas que ela é particularmente mais próxima nas câmeras, Bennett e Gregg – então, dirigi-las foi mais um mimo do que uma tarefa.

“Chloe e Clark têm sido grandes apoiadores meus tentando dirigir, e tê-los no centro do episódio foi incrível”, diz ela. “Eu meio que tive o melhor episódio para dirigir.”
À medida que a série se aproxima do fim, com apenas cinco episódios restantes (ainda sem uma data final), Elizabeth provoca um despedimento emocional.



“Foi um presente para os roteiristas saber que essa seria a nossa última temporada e, por isso, está escrito de uma maneira que há alguns trechos realmente prazerosos, mas outros tristes”, diz ela. “Eu não conseguia imaginar como eles terminariam de uma maneira que eu me sentiria feliz, mas eu amo como acabamos a série.
“Todas as coisas boas devem chegar ao fim, mas acho que os escritores fizeram um trabalho incrível … descobrindo como chegamos a esse ponto.”

Matéria traduzida do site NYPOST.


Confiram os dois sneaks legendados do próximo episódio, dirigido por ela:


Veja também