Relembrando a sexta temporada de Agents Of SHIELD

 Relembrando a sexta temporada de Agents Of SHIELD

Essa foi uma temporada mais curta, com apenas 13 episódios. Um ano se passou do final da 5ª temporada. A equipe está dividida: uma no espaço e outra na Terra. Por ser mais curta, meio que tudo aconteceu como se fosse um único arco de uma história que se entrelaçava. 

Parênteses aqui: durante a execução dos resumos, descobrimos que essa temporada é a que menos lembramos. Então se esquecemos coisas nas anteriores, essa aqui pode ser pior. Agradecemos a compreensão de todos. Nos perdoem e não desistam de nós! 


Tudo novo (de novo)

Com a morte de Coulson (pausa para choros e lamentos), Mack (Henry Simmons) assume a diretoria da SHIELD. Agora eles estão alocados no Farol, com a May (Ming-Na) retornando do Tahiti e virando seu braço direito, mas ainda se recuperando da despedida (outra pausa para choros e lamentos).


Temos Jemma (Elizabeth Henstrigde), Daisy (Chloe Bennet), Piper (Briana Venskus) e Davis (Maximiliam Osinski) no espaço, procurando pelo Fitz (Iain De Caestecker) que está (ou deveria, pelo menos) congelado. Após uma primeira tentativa frustrada de encontrá-lo, Jemma arrisca tudo em um palpite, contrariando as vontades dos demais integrantes da missão em retornar para Terra (causando um conflito entre eles e Jemma mostrando um pequeno lado sombrio).


Fitz deveria estar congelado porque nada é fácil, né?! Nunca é. A nave que Fitz e Enoch (Joel Stoffer) (nosso amigo chronicom da 5ª temporada) estavam foi atacada e eles estão buscando uma alternativa para poder encontrar outra forma de continuar a missão (acertando o palpite da Jemma, inclusive).

Coulson? Não, pera…

Enquanto isso, na Terra, a equipe precisa lidar com a aparição de um outro (?) Coulson: um cara que tem o mesmo rosto do nosso Phil (Clark Gregg).



Clark Gregg em imagem promocional de Sarge, seu personagem da 6ª temporada de Agents OF SHIELD.

O mistério envolvendo Sarge (Coulson, mas não Coulson) estende por toda temporada. Ele possui o mesmo DNA, mesma fisionomia e, após algum tempo, vemos que até algumas lembranças dele, mas definitivamente não é ele (e descobrimos da pior maneira no final da temporada).

As tramas paralelas

As tramas vão desenvolvendo: Jemma consegue encontrar Fitz, mas eles são capturados pelo chronicons (os do mal, Enoch é nosso amigo. Ou, como ele diz, melhor amigo do Fitz). O planeta deles foi destruído e eles planejam usar os conhecimentos do nosso menino gênio para voltarem no tempo e salvarem Chronica 2. No meio dessa bagunça, o quarteto do espaço encontra os chronicons também, aí o negócio dá ruim, mesmo. Enoch (em um momento “não sei de qual lado estou” da história) entrega que Fitz faria qualquer coisa por Jemma e ela acaba se rendendo para que os demais pudessem voltar pra Terra a salvos. 


Enquanto isso, na Terra, os agentes precisam entender o que está acontecendo com Sarge (o cara que possui o DNA do Coulson) e porque ele está na Terra. A princípio pensaram que ele é o vilão da temporada, mas ele explica que está lá para deter Izel (a mulher louca dos monólitos que quer trazer os morto vivos para tomarem o corpo dos habitantes da Terra)


Inescapável

Ficando Jemma e Fitz separados dos demais, vemos um episódio totalmente focado no casal, considerado um dos melhores da temporada, inclusive. 6×06 – “Inescapável” mostra os dois presos dentro de suas próprias mentes, unidos por uma máquina criada pelos chronicons, para tentarem resolver juntos a questão da viagem do tempo. 


É nesse momento que Fitz descobre o que aconteceu: seu outro eu tinha morrido e Coulson também. 

Além disso, vimos um lado negro da Jemma, onde ela acaba guardando todas suas angústias e frustrações dentro de uma caixa em sua mente. E o que sai não é algo muito agradável de se ver, não (Fitz que o diga). Mas Jemma também tem que enfrentar o alter ego do Fitz: Doutor (que já conhecemos bem a fama, né?!). No final do episódio, descobrimos que mesmo as personalidades “malvadas” dos dois são feitas uma para a outra e eles são o casal perfeito (fã alerta, galera, desculpa)



E teve mais

Assim como tivemos um episódio FitzSimmons, tivemos um episódio todo focado no retorno de Deke Shaw (Jeff Ward). Um episódio bem descontraído onde ficamos sabendo que Deke (sendo Deke) roubou algumas ideias tecnológicas da SHIELD para criar uma startup. E ficou rico (tipo, milionário, mesmo).

Jeff Ward em cena no episódio 6×04 – Code Yellow (Código Amarelo).

Vimos ele passar por algum sufoco, sendo perseguido por Sarge, até ser resgatado pela SHIELD. Descobrindo que seu melhor amigo (da onça) era um infiltrado que estava ali para ficar de olho nele (mas não parecia fazer o trabalho direito, já que o Mack não estava sabendo das tecnologias roubadas).


Agora na base, Deke descobre a respeito do Fitz (que não sabia que ele tinha morrido na 5ª temporada), fica puto com o Mack por não terem contado isso para ele e começa aos poucos a fazer parte da equipe.


Fato interessante desse episódio: Maurissa Tancharoen, showrunner da série, fez o papel da namorada do Deke neste episódio. Uma personagem muito engraçada, inclusive, que foi muito bem em cena.


Outro episódio bem diferente do que já vimos e MUITO, mas MUITO engraçado, foi o 6×03 – Fear and Loathing on the Planet of Kitson (Medo a Repulsa no planeta de Kitson). Ver Daisy, Jemma e Davis drogados foi IMPAGÁVEL. O que quebra o fandom é o final com FitzSimmons sendo separados de novo (aliás, FitzSimmons separados já tá virando pleonasmo).

Elizabeth Henstridge e Chloe Bennet em cena no episódio “Fear and Loathing on the Planet of Kitson”

Izel who?!

A grande vilã da temporada demorou um pouco para aparecer (apesar dos indícios que Sarge seria o grande vilão, mas..aguardem que ainda não acabou). Izel (Karolina Wydra) chega na Terra lá pro meio da temporada. Ela é quem traz FitzSimmons de volta, salvando eles de serem mortos em Kitson (depois de Fitz e Enoch meio que trapacearem porque, afinal, Enoch é um robô e não deveria estar no cassino).



Izel causa muita confusão e gritaria ao descobrirmos que ela pode possuir corpos (meio demônia, mesmo). Ela consegue se livrar da explosão causada por Jaco, um dos capangas de Sarge, na pele do Davis, infiltrando na base.

Karolina Wydra é Izel

Ponto importante que quase esquecemos: Izel estava atrás do monólitos (lembram? Jemma em Maveth, equipe no futuro? Então…). O que ela não sabia (e a Simmons não contou) é que tais monólitos haviam explodido, o que criou a tal “dimensão do medo que mencionamos ontem. Porém o que mantinha a tal dimensão ainda estava na base e foi isso que ela foi buscar.


Passando de corpo a corpo, ela consegue entrar no Mack (diretor, poderes, acessos, pegaram a ideia?!) para encontrar o local que estavam o que sobrou dos monólitos. Infelizmente, não antes de jogar o corpo do Davis de um mezanino, matando-o (e matando também as nossas chances de descobrir como ele sobreviveu à AIDA – de qualquer forma: RIP Davis, sentimos sua falta).


PLOT TWIST: Sarge descobre que ele não estava caçando Izel, mas que ele era igual a ela e deveria se juntar a ela. Mas é nesse mesmo tempo que ele passa a ter lembranças com a Daisy (chegando a chamar ela de Skye em um episódio posterior) e a May (a gente preferia que ele não tivesse lembrado de nada).


Caminhando para o final

Uma outra coisa que começa diferente na temporada e ainda não tínhamos falado: nosso Macklena não existia mais. Na verdade, Yo-Yo (Natalia Cordova) estava até em outra, mas um shrike (morcegos do mal criados pela Izel que o Sarge caçava e que não mencionamos) no meio do caminho acabou matando o pobre coitado.

Essa introdução foi só pra dizer que: depois de possuir o corpo de geral, Izel descobre os poderes da Yo-Yo e a usa para sair da base. E Mack vai junto.



Corta pro templo sagrado que um cientista (tentando substituir FitzSimmons, mas, né?! Tentando) descobriu pra SHIELD, e que tem relação com Izel, vemos o retorno do menino Flint (sim, ele mesmo, das pedras, 5ª temporada) pois ele era a chave de reconstruir os monólitos pra Izel.

Chegando no final

O final da temporada se resume no meme do Cascão e Cebolinha: O QUE ESTÁ ACONTECENDO? EU NÃO SEI! Pois é.


Vimos Daisy, May e Sarge tentando impedir Izel, vimos FitzSimmons e Deke trabalhando juntos para encontrarem uma solução pra conseguirem derrotar a Izel (aliás, foi fofo ver Deke todo preocupado em agradar o Fitz e triste ver o desabafo que ele fala que ninguém gosta dele), vimos o retorno do Flint, já mencionado, vimos Sarge esfaqueando a May (MANO), vimos Yo-Yo sendo absorvida por um shrike (MANO DE NOVO), vimos May voltando do mundo onde a morte não existe após lutar com Izel (aliás, puta luta de espadas maravilhosa), ela volta, salva Daisy de ser morta por Izel (ataque por trás é coisa de covarde, só pra constar), joga espada pro Mack matar o Sarge, morre nos braços da Daisy e antes que pudéssemos respirar, Jemma chega (cortando o barato do luto, do tipo “ok, galera, sem tempo irmão, bora sair daqui”), tira todo mundo dali, porque os chronicons tinham invadido o Farol e queriam matar todos eles, eles entram no Zephy que agora é uma nave que VIAJA NO TEMPO, ela diz que May vai ficar bem, Yo-Yo se recupera do shirke, Fitz, pra variar, está em outro lugar que não se sabe onde e, COMO SE NÃO BASTASSE, agora temos um Coulson LMD porque eles precisam de alguém que saiba a história da SHIELD pra impedir os chronicons (caramba, perdemos até o fôlego agora).


E assim terminamos os resumos de temporadas, com o gancho para a sétima (e última): Zephy agora viaja no tempo, teremos crossover com Agent Carter, os chronicons querem destruir a SHIELD, mas os agentes precisarão salvar a HYDRA, eles estão em 1930 e a gente já não sabe de mais nada.


E os bloopers, hein?!

Como a nossa querida (contem ironia) ABC ainda não liberou os bloopers da 6ª temporada, a gente vai ficando por aqui. Isso é tudo, pessoal!

Sentiu falta de algo?? Comenta aí embaixo o que foi e o que mais sente falta da sexta temporada da série! 



FALTAM DOIS DIAS! A 7ª (e última) temporada de Agents Of SHIELD volta dia 27/05, na ABC, a partir das 23h (horário de Brasília). Acompanhe a nossa contagem regressiva também pelas nossas redes sociais. 

Veja também