Relembrando a quinta temporada de Agents Of SHIELD

 Relembrando a quinta temporada de Agents Of SHIELD

A quarta temporada nos deixa com um gostinho de quero mais: vemos a equipe ser “sequestrada” e levada para o espaço. Como bem disse o Mack (Henry Simmons): faz sentido, já que foi a única coisa que eles ainda não tinham feito ainda.

Mas, como estamos falando da SHIELD (e com a SHIELD nada é normal), não basta ir pro espaço: eles também vão para o futuro. E não um futuro qualquer, nesse em questão a Terra é destruída (do tipo foi literalmente pro espaço). Yo-Yo (Natalia Cordova) agora faz parte da equipe principal, enquanto Fitz (Iain de Caestecker) é deixado para trás, no presente (ou seria passado?!), junto com Enoch (um Chronicom que vai ter mais importância pra frente).


Anos 2090

Começamos com eles tentando entender o que tinha acontecido, achando que estavam ali para salvar os humanos que foram escravizados por uma raça alienígena (os Kree, que figuram na série desde a 1ª temporada, mas só mencionamos agora por motivos de: ficou relevante). Com o decorrer do primeiro episódio, eles descobrem que estão nesse futuro distópico, mas ainda sem entender muito bem por que foram levados para lá. 


Uma das únicas coisas que sabiam é: eles eram, de alguma forma, esperados. Havia uma profecia que dizia que eles iriam para lá salvar a humanidade. 


Após causarem algumas revoltas contra os Kree, Daisy (Chloe Bennet) ser capturada e ter seu poder neutralizado por Kasius (chefe dos Kree), Jemma (Elizabeth Henstrigde) ser escravizada, também pelo Kasius (Dominic Rains), May (Ming-Na) ser presa, adivinha por quem?! Ele mesmo, Kasius. Nossos agentes descobrem um grupo de pessoas que estavam conseguindo viver na Terra (ou o pouco que restou dela) e vão até lá para tentar encontrá-los. 

Outra coisa importante dessa temporada: conhecemos Deke Shaw (Jeff Ward). Seu personagem não começou bem, sendo ele o responsável pela captura da Daisy, porém foi conquistando fãs durante a série e entrou para o elenco regular nas 6ª e 7ª temporadas. Aos poucos, vamos descobrindo que ele é neto de FitzSimmons, uns dos poucos que conseguiram ir para o Farol (ah é, aqui é onde chama o lugar que eles foram parar) após a Terra ser destruída.



Jeff Ward é Deke Shaw em Agents Of SHIELD.

Abre parenteses para o Fitz

Enquanto Fitz estava esquecido no passado/presente, ele foi preso pela General Hale (que depois descobrimos ser HYDRA – essa praga realmente nasce cabeças, pqp), ficou 6 meses preso até ser resgatado pelo Hunter (Nick Blood). Ele passou a entender o que estava acontecendo pelo Enoch (já falamos, mas vale lembrar: a importância dele aumenta, guardem esse nome) e encontra com a Robin (lembra? A garotinha que eles conhecem na 3ª temporada que falamos que seria importante?), ela que foi a responsável pela profecia que levou os agentes para o futuro e diz que Fitz vai para salvá-los. Como?! Ele só precisou ficar uns 80 anos congelado numa câmara criogênica, coisa normal que a gente vê todo dia. 

Hunter (Nick Blood) e Fitz (Iain de Caestecker) em cena do episódio 5×05 – Rebobinar de Agents of SHIELD.

Fecha parenteses para o Fitz

De volta para o futuro (foi mal, gente, a sessão da tarde falou mais alto), ao irem para (o que restou da) Terra, eles reencontram Robin, a menina agora já é uma senhora, que vive confusa por conta de seus poderes de previsão: ela nunca sabe quando é presente, passado ou futuro. 


Descobrimos um lado mais maternal da May, que foi quem cuidou da Robin durante o período no Farol. 


Nesse meio tempo, também conhecemos um personagem carismático e que se torna importante para esta e para a 6ª temporada: Flint (Coy Stewart), o menino das pedras. Ou o que controla elas, pelo menos. 


Ele é o responsável por reconstruir o monólito do tempo (soa familiar?! Foi um monólito que levou a Jemma pra Maveth também, isso vai ser importante na próxima temporada). Esse monólito foi o que levou os agentes para o futuro e é o que volta eles para o presente. 

Anos 2018

De volta ao presente, o grande foco da equipe é: não destruir a Terra e sair do loop que eles estão presos por terem ido pro futuro. Uma coisa importante: a galera do futuro afirma que quem destruiu a Terra foi a Daisy, até o apelido carinhoso de “Destruidora dos Mundos” ela ganhou. Isso a fez ficar um pouco paranóica, achando que não ter os poderes de volta seria a melhor coisa. 



Acontece que nosso querido Fitz traz de volta seu lado sombrio, também conhecido como o Doutor, que foi revelado dentro da Estrutura na 4ª temporada. Em um dos episódios, ele traz os poderes da Tremor de volta e causa um conflito grande entre eles.

“O acordo real” (também conhecido como episódio 100)

Lembram que na 4ª temporada mencionamos um (maldito) acordo que o Coulson (Clark Gregg) fez com o Ghost Rider? Pois então. Fomos apresentados a ele no episódio 5×12 – The Real Deal (O acordo real), o de número 100 da série.


Descobrimos que o tal acordo fez com que o que tenha salvo Coulson na primeira temporada, o sangue alienígena, fosse queimado pelo espírito da vingança, fazendo com que ele estivesse morrendo. Entrando, após isso, numa grande discussão com a equipe: eles deveriam salvar Coulson ou o mundo da destruição?


Vimos o retorno de Mike Peterson (J. August Richards), também conhecido como Deathlock, para o episódio especial. E conhecemos um dos maiores medos de Phil, por conta da “dimensão do medo” (que depois descobrimos que não era bem uma dimensão do medo, vide 6ª temporada): ele temia que tudo aquilo que havia vivido após ter sido morto (mas nem tanto) pelo Loki, não fosse real e não passasse de um sonho.


Além disso, tivemos (finalmente) o casamento de FitzSimmons, como uma forma de celebrar o centésimo episódio de Agents Of SHIELD, no mesmo momento em que descobrimos que Deke era neto deles.

Bastidores do casamento de FitzSimmons, no 100º epísodio de Agents Of SHIELD.

A quebra do loop

O grande paradoxo criado pela viagem no tempo foi o loop temporal em que a equipe entrou. Fitz, que tinha a teoria que o tempo é uma ilusão, apenas como percebemos a 4 dimensão (ele fala isso em um episódio da 3ª temporada, o 3×15, muito bom, inclusive), acreditava que esse loop era a prova de que eles não conseguiriam mudar o futuro.



Ironicamente, quem quebra o loop é exatamente o Fitz. No futuro em que eles visitaram, o Fitz sobrevive e chega até o Farol, porém em uma cena do último episódio da temporada, para salvar a mãe da Robin e o Mack, ele acaba morrendo em um desmoronamento. É principalmente sua morte que faz com que o paradoxo seja quebrado e a Terra não seja destruída.

Como ele chega no futuro pelo “caminho longo”, sendo congelado, quando ele retorna existem dois Fitz: o do futuro e o do “presente”. É esse Fitz do presente que vemos Jemma indo atrás na 6ª temporada que, como vocês já sabem, comentaremos amanhã.


Um novo adeus ao Coulson

Uma das coisas que a equipe não conseguiu evitar foi a morte de Coulson. Após ele e May se (finalmente) beijarem (de verdade, aquele com a LMD não conta) e assumirem o que sentem um pelo outro, eles passam os últimos dias de Phil no Tahiti.


Com uma cena muito tocante e um dos mais bonitos discursos de Coulson, nos despedimos do personagem (hoje podemos dizer que temporariamente, já que 7ª temporada tá aí pra provar o contrário).


Porém, não nos despedimos do ator. Clark Gregg retornou para a 6ª temporada com um personagem um tanto quanto diferente, que também iremos explorar amanhã.

Bloopers

Abaixo, você confere os erros de gravação (blooopers) legendados da quinta temporada da série:



Sentiu falta de algo?? Comenta aí embaixo o que foi e o que mais sente falta da quinta temporada da série! 

FALTAM TRÊS DIAS! A 7ª (e última) temporada de Agents Of SHIELD volta dia 27/05, na ABC, a partir das 23h (horário de Brasília). Acompanhe a nossa contagem regressiva também pelas nossas redes sociais. 


Veja também